sábado, março 06, 2010

Outro blog?... ou, o que escrever quando se está com insónias...

Tudo começou quando a Lídia e o Zé - obviamente nomes fictícios - "a modos que" se enamoraram ciberneticamente, o que já deve ter acontecido a milhões de pessoas, pelo que vim a perceber depois.

O enamoramento durou pouco, pois cada um deles era muito mais do que o seu blog e, como diria um grande professor meu, as desilusões chegam somente porque um dia nos iludimos. O trabalho foi todo nosso e raramente o outro tem a ver com o assunto. Adiante.

Porque eu conhecia uma dessas pessoas e alguém conhecia a outra, gerou-se uma bola de neve tão grande, que dei por mim a conhecer e a falar com pessoas que, de outro modo, jamais teria conhecido. Enfim, hoje em dia conheço muitas das pessoas que me lêem.

Não que me arrependa disso, pelo contrário. Apesar de algumas pessoas terem sido meras passagens, outras são pessoas com quem já não me dou - e nem tenho intenção de o fazer - pois, correndo o risco da repetição, aquilo que num blog pode ter muito a ver connosco, no geral, pode revelar-se um verdadeiro fiasco! Como, aliás, em todo o lado!

Mas a verdade é que conheci pessoas fantásticas, fiz amigos e tenho muito carinho por algumas delas. No entanto, nesse processo, o intuito deste blog perdeu-se.

Porque é que eu criei o Pequenos Pormenores? Porque aqui me sentia livre. Porque sou tantas coisas diferentes, algumas delas tão paradoxais, e sinto necessidade de as ser, sem culpa, sem crítica, sem filtros. Senti, durante muito tempo, essa possibilidade, por aqui. Apesar de lido por outros, este blog era só meu.

Agora, é igual a pensar na roupa que visto quando vou trabalhar, ou na prenda que quero comprar para determinada pessoa, ou na postura que devo ter para uma entrevista de emprego. Há sempre uma imagem que alguém tem de nós - completamente errada, provavelmente, pois somos sempre muito mais do que isso! - mas que tememos quebrar! Mesmo que digamos vezes e vezes sem conta que isso não importa. Õ próprio facto das pessoas nos conhecerem faz com que se preocupem connosco. E isso não é mau. Mas não nos permite libertarmo-nos, se sabemos que vamos preocupar alguém.

Perdi certezas, na vida, e isso, para mim, foi uma bênção! Mas já não sei colocar as minhas incertezas neste espaço. Criei outros blogs, com outros nicks, mas não é a mesma coisa. Nunca foi minha intenção esconder quem sou. Apenas sentir-me livre!

É uma crise - bloguista! ;) - e uma oportunidade, obviamente! Ser (mais) quem sou. Recriar-me, porque me dá na gana! Passar à zona desconfortável.

Talvez o faça. Hoje. Daqui a um mês. Nunca. Não sei.
De qualquer forma, este blog está em crise existencial...
:)

Excelente fim de semana para todos!

9 comentários:

Mag disse...

Compreendo muito bem as tuas palavras. Criamos um espaço para o nosso eu, as nossas palavras, pedaços de nós, onde podemos ser livres... mas quando damos por nós, estamos a escrever para chegar às expectativas dos outros, ou estamos a filtrar-nos para não ferir, ou não gritar o que temos cá dentro, que só nos pertence a nós.
A mim, essa crise acontece-me periodicamente. Exponho-me (até onde entendo), mas depois acabo, a dada altura, por sentir que me invadem, a galope. E eu quero as minhas fronteiras definidas apenas e somente por mim!

Conheço a história de que falas e, no fundo, graças a Deus, acabou por se revelar uma bênção - a de me ter posto em contacto contigo, minha amiga. Só por isso, faria tudo igual, sofreria igual, cresceria igual.

Beijo enorme

Sayuri disse...

Lidia?!
Também já senti o que expoes aqui, mas a verdade e como dizia em resposta a um comentrio qe me fizeram, aqui entra tudo aquilo que eu me permito partilhar com o desconhecido mundo bloguista. O resto fica em disco rigido.
Volta que a gente precisa de ti! Ou entõ manda o endereço do novo blog! :)

Korrosiva disse...

Quando abrimos a porta da nossa vida a quem nos le, perde-se liberdade de expressão, porque deixamos de ser um personagem e passamos a ser a "tal" de carne e osso.. mas ganhamos em amizade!

beijinhos

Andy disse...

Apenas frases soltas me ocorrem dizer...

... um blog mostra uma ínfima parte do que somos e do que sentimos num determinado momento...
quer sejam palavras de alegria ou tristeza são apenas uma pequena sombra do que realmente as nossas palavras alcançam.

quando lemos um blog, tudo o que percepcionamos para além do que está escrito, completamos com o nosso imaginário... cabe-nos a nós conseguir filtrar tantas vezes o que é real do que é apenas algo que cabe apenas na nossa caixinha das ilusões/sonhos...

a liberdade de escrever... essa, mesmo que não exista na totalidade...mesmo que apenas uma réstia de sol seja, é sempre um prazer...

fica amiga!
beijo

ianita disse...

Pois...

Lembro-me do dia em que fizemos um brinde ao Zé... por nos ter juntado às três.

É inevitável não sentir o que aqui descreves.

Se escreves o que sentes, há sempre quem te ligue a perguntar o que se passa porque escreveste isto ou aquilo no blog. Aconteceu-me algumas vezes... as críticas... as censuras... os e-mails... até na morte da minha avó tive direito a um e-mail indignado de um primo que eu nem sequer sabia que lia o meu blog.

Pessoas que me amam loucamente, até que eu percebo que amam uma ianita e não a Ana.

Mas... será que alguém sabe quem é de facto a Ana? Acho que não. Por isso também não me incomoda que achem que conhecem a ianita. Uma parte de mim... um reflexo de mim... mas eu não me esgoto na ianita... nem me esgoto na Ana...

Não escrevo tudo o que quero. Mas sou livre. No mesmo sentido em que sou livre na vida dos olhos nos olhos... respeitanto a liberdade dos outros... respeitando os sentimentos dos outros. E por isso contenho as palavras escritas, tal e qual contenho as palavras ditas...

E assim consigo persistir. Apesar de tudo...

E apesar de tudo... das culpas e das desculpas que já pedi e repeti... adorei ter-te conhecido. Não tenho de te falar sempre nem saber da tua vida... quando penso em ti sinto-me em paz e sorrio... emanas serenidade e sabedoria e tem sido um privilégio partilhar-me contigo.

Um beijo grande

Skywalker disse...

Realmente parece existir uma crise na blogosfera, tantos que são os blogues parados ou privatizados. Sempre gostei de te ler, a ti e outros blogues, sem me preocupar em materializar-te. Quando leio os blogues, fixo-me nos textos ou imagens e não tiro conclusões acerca dos autores. Ou gosto do que vejo ou não gosto. Optei por não publicar nada de pessoal no meu porque isso implicaria partilhar coisas que muitas vezes não partilho com quem me conhece pessoalmente e há anos, e não sinto necessidade de o expor perante quem não conheço. Obviamente cada um publica o que quer, sabendo que mesmo virtualmente a invasão de privacidade e respectiva limitação de liberdade acaba por acontecer.

Força!!!
Continua a escrever porque o fazes muito bem, seja onde for.

Beijokas

solange disse...

Gosto mto d te ler! Compreendo, também, a tua reflexão. No entanto, ficarei c mta pena se deixares este teu blogue. Fazes sentir-me bem e só n venho aqui mais vezes, porq o tempo n me permite.
Repito:
"Fica, amiga!"
"Força!!!
Continua a escrever, porque o fazes muito bem, seja onde for."
Um bjo gde <3

dinamene disse...

Escreve o que te dá na gana :D

...É que todos esses Eus paradoxais é que fazem a imensidão (quase) perfeita que somos....

Gosto sempre do que escreves, porque escreves bem, com emoção e não importa se usas máscaras ou não, desde que sintas algo verdadeiro...

LEMBRASTE UMA NOITE, "MASCARADAS", A FINGIRMOS SER OUTRAS "PERSONAGENS" E A BEBER MESCAL NUM BAR???!!!

Vou respeitar qq decisão que tomes, lindona, mas a verdade que é que com este espaço te vou sentindo "mais perto"!

beijos

Blogadinha disse...

"O teu blogue está muito..."

Algumas vezes li esta expressão, seguida de adjectivos vários. A liberdade virtual é tão ilusória quanto a real - em rede ou mosaico humano, o mundo é sempre uma incógnita.

Importa pois abstracção e fidelidade à tua voz. Em todo o discurso, a tua palavra será certamente a mais correcta.

E quem gostar de ti, aceitará!

Bons posts... :))

Bom fim-de-semana.