terça-feira, julho 11, 2006

Criancices



Quando a R. me disse que iriamos coordenar a colónia à praia e "estar com os meninos" de tarde, a coisa não me soou má de todo.
"Nem tens de tomar banho" - diz-me. "É só olhar pelos monitores, que eles tratam do resto."

Esta do não ter de tomar banho pode soar estranho, mas tentem pôr uma algarvia com alergia ao frio nas águas da Caparica e depois digam qualquer coisa....

Enfim, vamos aprendendo.
7 horas da manhã - o despertador toca e quase salto da cama. "Já é de manhã?"
Preparar a mochila da filhota, para o pai não demorar 3 horas à procura das coisas. Encontrar o biquini, "eu sabia que o tinha deixado por aqui... mas onde?". Descobrir que a toalha de praia está molhada. Alternativa: a toalha com o Noddy. Porque não?
Pode ser que não se note.... Preparar a minha mochila. Fazer qualquer coisa para o almoço, que tenciono levar. Procurar a agenda, foi vista pela ultima vez nas mãos de uma criança que 2 anos que descobriu há pouco o prazer de... PINTAR! Vestir.

8h30 - Sair a correr, com um pessego na mão, a mala, a mochila e a agenda noutra. Entretanto, esqueço-me do almoço.

9h00 - Chego ao Bairro, onde o autocarro e 35 crianças me esperam, acompanhadas de 4 monitores de 17 anos e uma mulher que, I don't Know why, vai connosco.

9h45 - Praia. Enquanto tentamos descobrir um lugar agradável para estar, a mulher que, I don't know why, foi connosco, começa a falar mal de uma das monitoras e, de repente todos os monitores falam da mal da jovem. Acabo com a conversa e mando-os cuidar dos seus grupos de criança. Abro a mochila e tira a toalha. "HEEEEEEEE!!!! Toalha do Noddy!" - gritam uns quantos, enquanto gozam comigo.

Manhã - duas monitoras zangam-se. 4 crianças choram. 2 meninos correm pela praia e temos de ir atrás deles. Tentamos ir ao banho. Dois meninos são enrolados nas ondas, apesar dos 4 monitores dentro de água. Um grupo de crianças molha-me. Fico com alergia. Hora do lanche. Não querem aquele lanche. Lancham. Os 4 monitores zangam-se. Tento juntá-los para fazermos jogos. Ando a tentar agrupá-los. Consigo juntá-los todos. Começa a chover. Arrumamos as coisas, desenterramos algumas crianças que outros tinham enterrado até ao pescoço enquanto nos vestíamos, chegamos ao autocarro encharcados. Uma monitora chora cá fora e não quer entrar no autocarro, devido aos outros 3.

Hora do almoço - reunião com os monitores, tentativa de acalmar os animos e reorganizar as operações. Duas resolvem não se falar e fazer com que tudo passe por mim. Descubro que não tenho almoço. Vou comer uma tosta e um sumo.

15h - Ensaio de dança das meninas. Uma resolve não dançar por vergonha. A professora de dança passa-se. Tento trazer a menina de volta. Pego em 8 meninos que não têm nada para fazer e levo-os para o espaço lúdico doutro bairro, onde mais 10 crianças nos esperam. Querem dançar. Não gostam de dançar. Querem jogar computador. Competem pelo computador. Zangam-se uns com os outros. Chamam-se nomes. Tento acalmar os animos, conversar. Não querem conversar, querem que os outros se vão embora. "Não pode ser. Vai ser todo o verão assim" - digo. Olham para mim furiosos.
Vem a Irene dar-lhes o lanche. Não querem aquele lanche. Lancham. Competem pelo brinquedo do lanche. Choram. Tento acalmar os animos "Eu não nasci para isto." - penso.

17h - hora de ir ambora. Acusam-se de lhes terem roubado os brinquedos. Chamam-se nomes. Tento acalmar os animos. Ninguém se fala. "Amanhã vêm outra vez?" - pergunta uma ansiosamente. Abano a cabeça e digo que sim... (?)"Isto não é normal!"
Volto para o outro bairro. Recados para mim: 2 não vão no dia seguinte, uma monitora quer desistir, uma voluntária quer ir. Telefono para todos. A monitora resolve continuar.

17h30 - sento-me numa cadeira e digo "estou exausta". "De quê?" - perguntam as colegas. "Passaste o dia na praia e a passear."

Parece que sim, não é?? Agora é só ir para casa, ir buscar a filhota, dar-lhe banho, preparar-lhe o jantar, pintar com ela, dar-lhe o jantar, contar-lhe uma história, correr atrás dela enquanto me berra "não ké dumi", levá-la para a cama, contar-lhe mais 3 histórias, esperar que adormeça, preparar actividades para o dia seguinte, e começar tudo de novo...

Não há nada como as crianças!!!!

12 comentários:

Tao disse...

Lita, tive a cuscar o teu site e, à semelhança do da Neptuna, queria-te felicitar pelas tuas criações literárias. O que acho interessante é a tua capacidade em conseguires transmitir os “pequenos” pormenores do dia a dia, seja através de um perfume ou de uma verdade pessoal e intransmissível.
No filme, O bom rebelde (Good Will hunting), há uma cena em que o psiquiatra (Robin Williams) explica ao seu paciente (Matt Damon) a relação que teve com a sua falecida esposa. O que sobressai das suas lembranças são as saudades dos pequenos pormenores do matrimónio que tinham, aquelas pequenas coisas que só o marido sabia acerca da sua esposa e vice versa. E era isso que tornava a sua esposa tão especial e única para ele.
Neste texto exemplificaste bem os pequenos pormenores do dia a dia de uma monitora, das diversas situações que surgem e que têm de ser resolvidas. Afinal, as coisas nem sempre são o que parecem. Não se trata só de passar o dia na praia e de passear… Mas era bom, não era? não ter responsabilidades…

Lita disse...

Obrigada pelas tuas palavras, de facto, às vezes, são os pequenos pormenores que dão o tom certo às nossas telas...
... lembro-me perfeitamente da cena que descreves do BOM REBELDE, um filme fantástico.

Quanto às responsabilidades... às vezes era bom não as ter, mas quantas vezes não as temos e as desejamos????!!!!

Cada vez mais acredito que TUDO é nossa responsabilidade!

Já agora... gosto do teu blog...

Neptuna disse...

No meio disso tudo só te digo uma coisa: "Toalha do Noddy?!?!?! LOL

....

Agora mais a sério: tu és a super Lita. Admiro-te mulher!

Lita disse...

... é da Mariana, ok????? :)

Eu sou a super Lita, mas tu é que corres 50 minutos às 7 da matina, ó wonder Neptuna!!!!

Neptuna disse...

...

se eu fosse a Mariana não ficava nada contente por saber que o Noddy anda a passear sem ela..

Correr 50 minutos às 7 da manhã torna-se uma viagem num avião 10 estrelas quando comparado com o que tu fazes.

Ps: "Lita e Neptuna as mulheres maravilha com um potencial fora do comum." acho que soa bem.

Lita disse...

Sem dúvida! Gosto do potencial... diz-me, quando é que potenciamos o potencial?

Neptuna disse...

Já.

É só pegar na nossa coragem, convicção, garra, inteligência, vida, loucura, amor, alma e por mãos à obra.

Que tal?

Lita disse...

YESSSSS!!!!!

Neptuna disse...

:D bem me parecia.

Arco-Íris disse...

Amori!!! Bem!!! Cheguei ao fim do teu frenético texto, cansada de prazer, de ler tamanha euforia!!!
Realmente as "crianças" são uma prenda para os "adultos". Enfim...concordo que és uma verdadeira super mulher, eu ainda ando a cuidar da minha criançinha, e que trabalho que me dá, e tu para além da tua Litinha, ainda tens a Nana do teu coração, e ainda tens power para as outras criancinhas!!! Parabéns mulher!

Arco-Íris disse...

Ah! Adorei a da toalha do Noddy!
"Abram alas pró Noddy, NODDY!!!, lá, lá, lá ,lá, lá , lá, abram alas pró Noddy, NODDY!..."

Olavo disse...

Mais uma vez me perco nas tuas palavras, navego nas tuas emoções, sorrio com os teus pormenores. No fim, a certeza de teres tido um dia extenuante mas absolutamente gratificante.
A toalhita do Noddy parece-me bem, o que não me parece tão bem é que tu sejas mais uma das responsaveis por eu apanhar um transito infernar para chegar ao emprego...que é na Costa...aiai, tudo pelas crianças, tudo para as crianças ;-)