segunda-feira, abril 20, 2009

Marcas

Ao longo dos tempos, quantas vezes me tenho questionado se estou no trilho que sonhei para mim ou se me perdi, algures no caminho. A resposta depende dos dias, das circunstâncias, dos lados da minha habitual instabilidade.

Por vezes o medo é mais forte e diz-me que não tenho como vencer naquilo que sonho. Que já apostei algumas vezes e nem sempre o resultado foi o esperado. É verdade. Os resultados raramente são os que esperamos. Ontem, a Ianita falava de controle. Ir ao encontro dos sonhos é deixar de controlar e, nesse caso, como poderíamos esperar resultados???? :)

Existem outros momentos em que olho para trás, e para as várias paragens do meu percurso, e percebo que não os queria de outra forma. E que cada vez que retorno, estou diferente, tenho outro camada de mim mesma, de descobertas. Que ganhei outros instrumentos para lidar com as situações.

Ás vezes o medo não vai embora. Mas não significa nada. O medo é uma forma de percebermos que estamos vivos. E um teste à capacidade de viver sem controlar. De viver sem tapete... um dia atrás do outro. De sentidos despertos. Absorvendo vida. E esperando resultados que não fazemos ideia do que serão.

É impossível olharmos para trás de olhos bem abertos e consciência desperta, e não percebermos que deixámos vezes e vezes, a nossa marca no mundo. E que continuaremos a fazê-lo!

22 comentários:

Miepeee disse...

Uma das melhores marcas e a tua filha :)
Beijinho.

Mag disse...

Lita, este teu post tocou-me realmente profundamente. Talvez porque hoje é um dia especial (de celebração silenciosa), talvez porque o momento que estou a viver é diferente, não te sei dizer o porquê...
... sei que ainda estou a dar os primeiros passos nisso de olhar para trás e ver que realmente deixei essa marca, e que ela não tem a carga negativa que me fizeram crer que tinha, na altura...
... sei que tenho tanto a aprender, e que é precisamente por isso que amo a Vida, pela capacidade contínua de nos pegar, dar três voltas no ar e mostrar que afinal há sempre outras perspectivas... aprender, sempre e mais!

Obrigado por estas palavras. Porque a marca indelével delas em mim abriu caminho para a serenidade e a consciência.

Ianita disse...

O que eu penso é o seguinte:

Coragem não é a ausência de medo. É ter medo e avançar apesar dele. Quem não tem nada a perder, não tem medo, mas também não tem coragem.

Dizias ontem que lias os comentários, além dos posts. Eu dizia que enquanto fosse mulher, filha, neta, irmã, cunhada, tia, amiga, nunca teria o controle da minha vida. Numa das respostas que dei eu dizia que se não fosse esssas coisas todas não haveria nada para controlar... basicamente porque não viveria...

Expectativas. São o que são e valem o que valem. Tantas vezes temos exactamente o que pedimos e vemos que isso não nos faz felizes. Temos de aprender a pedir o que precisamos e não o que queremos e talvez consigamos vislumbrar felicidade.

Por isso... olhamos para trás e vemos que não fizemos o percurso que queríamos. Vemos que nos enganámos no caminho muitas vezes. Vemos que este caminho nos trouxe a um lugar que não queríamos. Mas acontece que não queríamos que fosse de outra forma.

O Universo sabe mais que nós. Sabe do que precisamos para crescermos e para sermos felizes.

A nossa marca no Mundo... só se não vivêsemos não a deixaríamos. Tu vives! Tu és um ser de luz! Tens uma filha fantástica! Tens amigos verdadeiros! És alguém que dá. És professora. Ensinas vida. E sim, tens deixado a tua marca e deixa-la todos os dias. Nunca duvides disso.

Confiança. Passo a passo. Ninguém disse que tínhamos de correr. Devagar. Sê tu. Vive.

Beijos!

Hélio disse...

Absolutamente fantástico, de clarividência precisa, querida Sis! Palavras que também estava a precisar...

Beijo enorme

Lita disse...

Miepeee, ela é A marca! :)

Mag, obrigada pelas bonitas palavras. Temos sempre tanto a aprender, não é? E não é essa a beleza da vida, as lições que nos iluminam mais e mais? Também estou num percurso novo e cheio de perguntas. E também olho para as minhas marcas com um sorriso. :)

Ianita, concordo plenamente que o Universo sabe mais do que nós. Concordo que recebemos o que precisamos, mais do que o que queremos. E que esse entendimento é a chave para nos centrarmos e nos amarmos mais. Mas é um percurso, concordas? :) E nem sempre estamos com a mente limpa para o perceber...

Hélio, :) Obrigada, mano! Um abraço daqueles, do tamanho do céu!

Ianita disse...

Concordo plenamente.Às vezes custa a aceitar. Custa muito... mas a idade vai-nos dando clarividência, e mais certezas. Pelo menos a certeza que o tempo tudo muda. Aos 15 anos temos pressa de tudo... acho que agora temos mais calma... e mais confiança que tudo vai correr bem.

:)

Lita disse...

É verdade. Para mim é uma conquista, essa calma. Esse saber que o tempo é o nosso melhor amigo, e não um inimigo cruel. Que se não morremos de desespero aos 15, dificilmente acontecerá aos 30. ;)
Beijos.

entremares disse...

E o que é a nossa marca no mundo ?

Será alguém se vai lembrar de nós, depois de partirmos ? Se isso acontecer ( e tudo o que deixamos aqui são lembranças nos outros )... se isso acontecer... então já valeu a pena. E a diferença será mínima; aquela criança que se vai lembrar sempre da professora que lhe conseguiu explicar que a Terra é redonda, que existem números negativos, que os gases existem mas não se vêm... ou aquela praça pública, que ostenta uma estátua imensa de um politico famoso ( ou rei, ou militar, ou coisa parecida )... mas do qual ... não sabemos nada.

É tudo um factor de escala.
As memórias também.
E a nossa marca no mundo, também.

João disse...

Deste-me algo para pensar durante o dia de hoje. Sei que "destas coisas" não percebo muito, por isso é bom que apareçam pessoas que como tu ajudem a explicar melhor "estas coisas" que nos confundem ao longo do percurso.

Bjs

korrosiva disse...

Acredito que há sonhos mais simples de ser concretizados que outros, mas não me convenço que nenhum será impossível.
Não há modo de controlar o que se passa ao meu redor, mesmo quando tudo nos leva a crer que sim, a vida está cheia de voltas de truques e sobretudo de surpresas.
O medo está sempre presente, mas nunca me impediu de nada..é respirar fundo e seguir em frente, o que tiver de ser será!!

beijinhoss

Pjsoueu disse...

Lita:)
Considero que a melhor e mais preciosa marca" deixada na nossa passagem pela vida, é a forma o legado no timbre dos nossos filhos.

Se eles forem pessoas de bem, pelo nosso melhor exemplo na autenticidade dos nossos actos ( de amor, ás vezes com dor) , então deixámos a Marca pras gerações futuras:)

beijos

Pj

Lita disse...

entremares, tens razão quando dizes que é tudo uma questão de escala. É dessa escala que falo. Daquilo que é a minha marca no mundo. Aquilo que faz, ou fez, o meu coração amar mais e sorrir. :)

João, obrigada pelas palavras, mas quem te lê, sabe bem que tu percebes perfeitamente "dessas coisas". :)

korrosiva, muitas vezes nessas viagens para os cumprirmos, já os estamos a realizar! :)

Pjsoueu, os nossos filhos são, sem dúvida, a nossa maior criação! :)

No meu mundo mágico disse...

O medo faz parte da nossa vida! Não somos corajosos quando não temos medo! Mas sim quando seguimos em frente apesar de estarmos todos "borradinhos"!

Sem dúvida que deixas a tua marca em tudo o que fazes! Basta seres tu própria! Pois não somos todos iguais!

Um grande beijo!

P.S: Obrigado por m fazeres pensar!

Lita disse...

No meu mundo mágico, é verdade! Um grande beijinho para ti.

Miepeee disse...

Eu disse que ela era uma das marcas porque ainda podes ser mae outra vez :P
Beijinho.

Pedro Barata disse...

Se não deixarmos marcas não valia a pena andarmos por aqui, não é?
Beijinhos

Lita disse...

Miepeee, é verdade! :)

Pedro, claro! :D

Rice Man disse...

Mudávamos alguma coisa se voltássemos atrás? Talvez. Mas e depois? Estaríamos onde estamos hoje? Seriamos a mesma pessoas? Se não, gostaríamos dessa pessoa? Não sabemos, ninguém sabe. Se chegámos aqui foi porque as coisas correram como correram e não podiam ter corrido de outra forma.
Todos deixamos a nossa marca neste mundo, é impossível ser-se um ninja neste aspecto. Uns deixaram marcas más (na altura), outros marcas boas... Cabe-nos tentar aprender com as más, tentar perpetuar as boas e depois, no meio disso tudo, deixar a nossa própria marca, vivendo a nossa vida, esperando que seja útil a mais alguém no futuro. Daqui a muitos anos ninguém se lembrará de nós, de como éramos... Mas a nossa marca estará lá, completamente invisível, escondida em pequenos gestos, em pequenos decisões éticas, em pequenos nadas...

lilipat2008 disse...

Depois deste post e destes comentários, pouco há a acrescentar...:)

Tem uma boa semana :)

bjs

izzie disse...

"Irmã roubada"... no fundo saberás o impacto das tuas palavras em mim, porque as sentes sempre, mesmo quando eu penso que as codifiquei o suficiente para não serem perceptíveis fora da minha mente.
Caminho... viagem, marcas... sem o negativo ou o positivo. Sem a pressão do Destino. Apenas atentos à sensação, aos Sinais, à aprendizagem.
Obrigada pelos pedacinhos de clarividência que me ofereces :)

Abraço apertado,

Nanda disse...

Oi,

passe lá depois para pegar o selo do meu blog!


bjs!

Lita disse...

Rice Man, aorei cada palavra. Concordo em absoluto com tudo. Um beijinho grande. :)

lilipat, uma excelente semana para ti! :)

Izzie, haverá melhor coisa que o caminho, ainda que pensemos que queremos as metas? ;) Abraço!

Nanda, vou passar, obrigada!