terça-feira, abril 21, 2009

Saudades

Saudades! Sim... talvez... e porque não?...
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!

Esquecer! Para quê?... Ah! como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagrado como pão!

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti!

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse presa a mim!


Forbela Espanca

15 comentários:

Mag disse...

Não há outra como Florbela...

{Saudades
que me correm velozes nas veias
gritando-te
em notas musicais
que sobem pelo telhado
(nesta noite)
uivando à Lua...}
(saiu agora...)

im disse...

Lindo...


beijos

Lita disse...

Mag, é verdade... não há outra como Florbela! :) Belas paralvras... o que as saudades nos fazem... ;)

im, é lindíssimo. Beijos.

Ianita disse...

Eu sou uma saudosista. Gosto do passado. Não só do meu, mas do passado todo, da História... das estórias... de saber dos homens e mulheres do passado e do que fizeram para hoje estarmos onde estamos.

Tenho nostalgia de coisas que não vivi.

Quanto ao que vivi... tenho saudades das boas. Lembro-me, recordo-me, gosto muito do que fiz, mesmo dos erros todos, e sorrio. Esquecer o nosso passado é esquecermo-nos. Eu lembro, tenho saudades, mas não queria voltar atrás. Estou bem onde estou.

Também tenho saudades do que não conheço, do que tenho ainda para viver. É possível?

O presente mistura em si todo o passado e todo o futuro. Sem passado e sem futuro nós não éramos nada. Eu tenho saudades. :)

korrosiva disse...

LINDO :))beijinhosss
Dia feliz

izzie disse...

Lita... Florbela não me diz muito... é quase como Antero. Pela fatalidade, pelo "negrume", pela intensidade.
Mas... quando trazido pelos teus "dedos" [:)] as palavras ganham outro significado, outra leitura.

Beijo grande,

Kayla disse...

Em prespectivas diferentes...é sempre saudade!

Taiyo Omura disse...

flutuei nas tuas palavras
como quem anda sobre o mar

obrigado

No meu mundo mágico disse...

Amo Florbela Espanca! Um dia destes posto o meu soneto preferido dela " Desejos vãos"!

Lindo post!

Um beijinho!

Rice Man disse...

Não conheço quase nada de Florbela mas adorei este poema! :) (E tenho gostado dos outros que tens colocado)

Maria Anjos Varanda disse...

GRANDE Florbela Espanca.....como
poucas.....

Beijos

Zabour disse...

A tia Florbela deixa-me muito triste :O(

Beijinhos

Maria da Lua disse...

F-A-B-U-L-O-S-O!!!

Pjsoueu disse...

Gosto imenso de Florbela Espanca, e muito mais porque é minha conterrânea . Sentiu como eu a vastidão do Alentejo; o cheiro de vida que nos invade e inspira no horizonte das memórias de ontem da vida vivida de hoje:)

Lita, obrigado por teres trazido a nossa "alentejanita" de eleição:)

beijos

Pj

Lita disse...

Ianita, compreendo bem o que dizes com saudades das boas. Eu também tenho dessas... das boas. Não fico triste com as memórias do passado, especialmente as bem vividas. É mais um... opá, que bom que eu vivi isto! :)

korrosiva, beijinhos.

izzie, eu adoro. Pela intensidade sobretudo. Beijos.

Kayla, é. :)

Taiyo Omura, :)

No meu mundo mágico, fico à espera. :)

Rice Man, fico feliz! :)

Maria Anjos Varanda, verdade! :)

Zabour, :(

Maria da Lua, :)

Pjsoueu, alentejaninha de eleição. Gostei! :)