terça-feira, outubro 14, 2008

Madrugar

6h18am
Linha de Sintra

A estação de comboio não estava cheia,mas imitava bastante bem.
Sensação estranha, esta. Eu ali, num dia em que tive de me levantar excepcionalmente cedo. Confrontei-me com o frio da madrugada, a noite escura como breu,o céu ainda estrelado e a Lua Cheia, prestes a pôr-se do lado oposto.

Estas pessoas, à minha volta, estão na sua rotina. Levantam-se às 5h30 da manhã, saem de casa às 6h para apanhar o comboio que as levará ao trabalho.

Entro no comboio e é outro choque. Está cheio. Tenho de passar para outra carruagem para encontrar lugar. Sento-me. No banco da frente,um bebé de casaco azul e chucha vermelha pisca na minha direcção. Sorrio-lhe. Abana-se, rindo! É o único, dentro da carruagem,que parece não ter sono.

Saio em Sete Rios e dirijo-me ao Expresso. Mais uma estação cheia,a música altíssima ecoa por todo o lado. Carrie, dos Europe (alguém se lembra?). Agora, para além do frio e do sono, estou a ter um pesadelo!


Definitivamente, hoje, comecei a dar mais valor à minha cama, aos meus horários, à minha vida!

4 comentários:

Sayuri disse...

Ca-a-a-rrie, ca-a-arrie!...
Muito bom logo de manhã!! Melhor que isso, só uma gata com o cio...e foste para onde desta vez?

Lita disse...

Évora, minha querida! Ao que parece, a primeira de muitas vezes...

Sayuri disse...

que experiência deliciosa...sopa de poejos, sopa de tomate, cação de coentrada, secretos de porco com migas, enchidos, queijo de Nisa, pão de rala, toucinho do céu....sabes que a minha costela alentejana é originaria de évora? :)

Lita disse...

Ok.
Eu dispenso a carne, mas o resto parece-me verdadeiramente bem... e há as noitadas! Pois, porque vou lá dormir uma noite, pelo menos!!! :)