quarta-feira, janeiro 21, 2009

Cúmplices

Já percebi que a Mafalda Veiga suscita muitas reacções de amor/ Ódio. A mim de amor...
Por isso, gostava de dedicar esta música aos malucos que me acompanharam até às 3 e meia da matina, ontem... porque a cumplicidade, por vezes, parece que sempre existiu...



A noite vem às vezes tão perdida
e quase nada parece bater certo
há qualquer coisa em nós inquieta e ferida
e tudo que era fundo fica perto

nem sempre o chão da alma é seguro
nem sempre o tempo cura qualquer dor
e o sabor a fim do mar que vem do escuro
é tantas vezes o que resta do calor

se eu fosse a tua pele
se tu fosses o meu caminho
se nenhum de nós se sentisse nunca sozinho

trocamos as palavras mais escondidas
que só a noite arranca sem doer
seremos cúmplices o resto da vida
ou talvez só até amanhecer

fica tão fácil entregar a alma
a quem nos traga um sopro do deserto
olhar onde a distância nunca acalma
esperando o que vier de peito aberto

se eu fosse a tua pele
se tu fosses o meu caminho
se nenhum de nós se sentisse nunca sozinho

8 comentários:

Hélio disse...

:') Juro-te que sim! É mm um luxo!!!

Lita disse...

:)

Satine disse...

minha musica preferida dela de sempre :)

diz tanto tanto*

Lita disse...

É tãaaaaao linda! :)

Andy disse...

É linda! Bj amiga

as velas ardem ate ao fim disse...

Lita,

sinto me tão perdida, sem vontade de achar o caminho...desistir sei lá...

dsc o desabafo

Kaila disse...

Obrigada pela parte que me toca!
;)

Lita disse...

as velas ardem até ao fim, não o faças!!!! Não desistas... :)

Kaila, your welcome!