quinta-feira, dezembro 11, 2008

Terapia do baloiço

Foi no baloiço da Ana que descobri intuitivamente aquilo que mais tarde vim a estudar.

A casa da avó da Ana era em madeira, pequenina. Tinha uma particularidade. Um pátio com um baloiço daqueles antigos, que parecem uns sofás em ferro trabalhado, todos brancos e cheios de almofadas fofinhas.

Por vezes íamos para lá para jogar às cartas. Mas o motivo principal era aquele bocadinho em que nos sentávamos, duas ou três no baloiço, e conversávamos envolvidas por aquele ritmo harmonioso.

O balançar, muitas vezes devido a memórias emocionais muito antigas, dá-nos um sentimento de conforto, de aconchego. Serviu-me como terapia, muitas vezes, na adolescência mais tardia, em que me sentava lá, desta vez sozinha, vendo-as jogar às cartas ou fazer qualquer outra coisa. Nessas alturas, preferia fechar-me no meu mundo e utilizar o balançar para me abandonar ao esquecimento.

Sempre que vejo a Ana, ou passo na casa da avó dela, é disso que me recordo. Do balouço e das horas de conforto que me trouxe.

PS. Andar de baloiço mais vezes!!!!

8 comentários:

Ianita disse...

Muito bom... o andar de baloiço... os tempos da infância, tão longínquos e tão perto...

Kisses

Lita disse...

Verdade... e acredita! Sabem bem, mesmo depois de crescer! :)

Sayuri disse...

Eu não resisto! Sempre que vejo um baloiço tenho que o experimentar. Adoro! O melhor baloiço da minha vida era o do colegio da primária. Que saudades!

Lita disse...

Eu também adoro!!! É uma das razões porque vou ao parque com a criança!!! ;)

kaila disse...

Eu tenho dois baloiços na minha vida;esse...;)e o da minha infância,aquele que o meu pai fez com corda grossa e um pedaço de madeira preso a uma amendoeira...lembras-te?

Lita disse...

Perfeitamente!
Acho que temos uma fotografia dele!

Skywalker disse...

Não resisto a um baloiço. A ultima vez que estive em Matosinhos fui ver o concerto dos Keane e depois eram 3 da mnhã estava a andar de baloiço num dos bares da praia. Simplesmente delicioso.

Beijokas

Lita disse...

Uma excelente terapia!